Poeta jovem

Poeta jovem
Grande poeta e sonetista!

27 de dez de 2010

A minha doce namorada(Soneto)

A minha doce namorada(Soneto amoroso)

Oh amor! Beberás o meu cálix na alcova,
Enches o meu leito em beijos cálidos
Quero-te a paixão fogosa sem ver-te,
Beija-me o colo formoso,meu amor.

Sinto-te o meu verdadeiro coração,
Em ti o meu arame poderás amar-me...
Amo-te,és tão doce em teus corações
Em teu corpo deixa-me sentir o leito.

Traze-me o brilho de ti ao coração,
Virás comigo ao meu peito,oh amor!
Quero-te a flor eterna ao teu peito.

Enevoas o meu seio formoso em ti,
Senti-te o forte colo,bem-amada!
Amo-te o belo namoro,meu amor!

Autor:Lucas Munhoz

O amor eterno

O amor eterno

Quero amar-te eternamente,amor
Amar só por ti:meu coração me ama...
Deixa-me beijar a tua boca no leito,
Meu amor,escrevo os teus lindos versos.

Quero amar-te sempre o teu coração,
Sinto-te a tua insônia no meu leito;
Deixo-te amar o meu leito do amor...
O eco dos teus abraços... A tua boca.

Que a tua boca é sempre tão serena!
Guarda o teu beijo pela minha boca,
Deixo sentir-te os lindos versos,amor.

Amo-te tantos corações esse beijo,
Senti-te o teu perfume no meu leito...
E nesse beijo,Amor! Amo-te sempre.

Autor:Lucas Munhoz

A bela namorada(Soneto erótico)

A bela namorada(Soneto erótico-amoroso)

Nua,és como um cio bem afagado
acolhe-me o doce gozo sem pejo,
tens a dor eterna em teu corpo
meu amor,saberás que eu te amo.

Teu corpo! Dou-te o alvor libidinoso
soltaste o teu cabelo à pele úmida;
tremeste o arfar ao gozo deleitoso.
Corri a tua espádua ao fogo ardente.

Meu amor,és como um forte espasmo
sorvi-te a gula luxuriante em leito,
lambi teu ventre,oh minha amante!

Amei-te o colo arrepiante,amor!
gozarás a minha mão em teu ventre,
a dor perfeita ao teu corpo molhado.

Autor:Lucas Munhoz

A bela namorada(Soneto erótico)

A bela namorada(Soneto erótico-amoroso)

Nua,és como um cio bem afagado
acolhe-me o doce gozo sem pejo,
tens a dor eterna em teu corpo
meu amor,saberás que eu te amo.

Teu corpo! Dou-te o alvor libidinoso
soltaste o teu cabelo à pele úmida;
tremeste o arfar ao gozo deleitoso.
Corri a tua espádua ao fogo ardente.

Meu amor,és como um forte espasmo
sorvi-te a gula luxuriante em leito,
lambi teu ventre,oh minha amante!

Amei-te o colo arrepiante,amor!
gozarás a minha mão em teu ventre,
a dor perfeita ao teu corpo molhado.

Autor:Lucas Munhoz